Viagem a África do Sul / 2019

 06/06/2020

Viagem a África do Sul / 2019

EVENTO(S)

Visitas a Capetown, Constantia, Cabo da Boa Esperança, Simon´s Town, Stellenbosch, Franschhoek, Paarl e Aquila Safari



PERÍODO

Outubro 2019


DESCRIÇÃO

Histórico. Em 1652, Jan Van Riebeeck, da Companhia Holandesa das Índias Orientais, fundou a Cidade do Cabo iniciando a colonização holandesa. Em sua maioria eram calvinistas fugindo da perseguição religiosa na Europa. Esta cidade servia como entreposto comercial para abastecer as naus em seu caminho para as Índias. Em 1679, foi fundada Stellenbosch por calvinistas em fuga da Holanda. Além de grande produtora de vinhos, a cidade hoje é um importante centro universitário e sua Universidade foi fundada em 1866 com o nome de Stellenbosch Gymnasium. Em 1688 é fundada Franschhoek (canto francês) por huguenotes, calvinistas franceses, fugindo da perseguição do rei católico Luís XIV da França. Quanto aos vinhos, destacamos os Sauvignon Blancs, Shiraz/Syrah e Cape Blend tinto, com preços muito bons. A alimentação também é muito boa e de bom custo. Seus restaurantes são sofisticados e a comida segue a alta gastronomia francesa, com toques e muitos produtos locais.    


ATIVIDADES  

1) Capetown, cidade acolhedora com muita vida, agitação, muitos bares e restaurantes.

1.1) V&A Waterfront. “O V&A Waterfront é um dos destinos mais visitados da África e está situado no porto de trabalho mais antigo do hemisfério sul, com a icônica Table Mountain como pano de fundo e amplas vistas sobre o oceano, a bacia da cidade e os picos das montanhas”. ¹

Em 1654, Jan van Riebeeck construiu um cais para abastecimento (refresco em termos náuticos) dos navios da Companhia das Índias Orientais que faziam a rota da Índias. Em 1858, após uma série de temporais de inverno que destruíram inúmeros navios, a seguradora Lloyds de Londres decidiu parar de fazer seguro para navios ali ancorados. Em 1860 o Príncipe Alfred, filho da rainha Victoria, inicia as obras de um quebra mar para proteger o porto. Em 1988 é criada uma subsidiária da empresa estatal Transnet com o objetivo de “reconstruir as zonas portuárias históricas em torno das Bacias Victoria e Alfred como uma área de uso misto com foco no varejo, turismo e desenvolvimento residencial, com um porto ativo no centro”.¹ Este empreendimento deu tão certo que hoje ocupa uma área de 123 hectares com hotéis, restaurantes, bares, shoppings, prédios comerciais e residenciais e inúmeras outras atividades. Recebe por ano mais de 24 milhões de visitantes, gerando mais de 20 mil empregos.

1.2) Belthazar Restaurant & Wine Bar. Excelente restaurante de grelhados e frutos do mar, com terraço com vista para o Waterfront. Eles se orgulham de ter 250 vinhos diferentes para serem servidos em taça e constarem do Guinness Book. Estes vinhos estão numa enorme parede com máquinas tipo Enomatic. Comida e serviços perfeitos. Fizemos uma degustação variada de diversos vinhos em taça: FT 7429 a 7438 e 7443 a 7449.


2) Costa Atlântica e Cabo da Boa Esperança. Seguimos por Sea Point, Bantry Bay, Clifton, Camps Bay até Hout Bay. Continuamos pela Chapman’s Peak, uma estrada impressionante, até o Cabo da Boa Esperança, local de enorme energia, que instigava a imaginação durante as aulas de História e que suscitou muitos sonhos e fantasias na época escolar. Daí visitamos a praia de Boulders onde existe uma enorme colônia de pinguins, muito sossegados e acostumados com o frenesi dos inúmeros turistas e suas máquinas fotográficas. O almoço foi em Simon’s Town, cidade portuária com uma base naval. O charme da cidade tem como característica sua arquitetura vitoriana e seus inúmeros restaurantes. Ademais de suas praias muito concorridas no verão.


3) Vinícolas visitadas em Constantia.

3.1) Groot Constantia Historical Wine Estate, vinícola fundada em 1685. As construções seguem o modelo holandês antigo. Vinhos muito bons. Uma das degustações é com harmonização com chocolates. Muitas obras de arte em exposição. Prova: FT 7460 a 7464 (destaque). Almoço no restaurante Groot Constantia Simon’s com vinho FT 7459 (destaque).

3.2) Eagles’ Nest Wines, vinícola boutique com bons vinhos, destacando-se os Shiraz e ótimo custo benefício. Arquitetura seguido o modelo clássico holandês. Linda paisagem. As videiras são plantadas em terraços, tipo socalcos. Prova: FT 7454 a 7458 (destaque).


3.3) Beau Constantia Wine Farm, vinícola com arquitetura moderna e local de degustação com vista muito bonita do vale. Bons vinhos. Prova: FT 7450 boutique a 7453.


4) Vinícolas visitadas em Stellenbosch.

4.1) Cavalli Wine Estate. A fazenda inclui um haras com mais de 100 hectares. Sua arquitetura é moderna, muito bonita, arrojada e tem o cavalo como tema central. Seus vinhos recebem o nome de cavalos famosos de sua criação. Bons vinhos e custo benefício favorável. Prova: FT 7470 a 7475 (destaque).

4.2) Kleine Zalze Wine Estate. Desde 1695. Atualmente a vinícola fica dentro de um condomínio fechado e compreende: o complexo vitivinícola, o De Zalze Lodge categoria 4 estrelas luxo, o campo de golfe De Zalze Golf Course e o Terroir Restaurant. Sua arquitetura segue o clássico estilo holandês do Cabo. Seus vinhos são extraordinários, dos melhores que provamos em toda a viagem. Fizemos a degustação dos vinhos ao ar livre, com uma bela paisagem e jardins bem cuidados. FT 7476 a 7483 (destaque para todos os vinhos provados). O almoço foi no Terroir Restaurant, refeição excelente acompanhada do vinho FT 5988 (destaque). Uma curiosidade: na entrada do restaurante tem um cavalete apoiando quadro negro com o menu escrito à giz (bem ao estilo da França). Como estávamos em dúvida do que comer pedimos o menu e o garçom nos trouxe o quadro negro com cavalete e tudo! Como muda frequentemente, não existe cardápio escrito...

4.3) Marianne Wine Estate. Integrada pela Vitivinícola e pela Floréal Brasserie. Arquitetura moderna, mas lembrando as clássicas construções do Cabo. O nome Marianne homenageia a mulher símbolo da República Francesa, e remete à origem francesa de seus proprietários, que possuem três propriedade vinícolas em Bordeaux. Prova de 11 vinhos maravilhosos, a maior parte deles nota 5. O atendimento também foi muito prestativo e atencioso. FT 7487 a 7497 (destaques 7488,7493, 7494, 7495, 7496, 7497).

4.4) Warwick Estate. Fazenda agrícola desde 1771 que começou a produzir vinhos em 1984. Logo no jardim de entrada tem um enorme estatua de Nelson Mandela. A construção é em estilo holandês clássico, com jardins maravilhosos, lago e área para piquenique. Optamos por fazer a degustação e o almoço em uma varanda externa com vista para toda a área verde e o lago. Atendimento muito bom e profissional. Provamos dez vinhos excelentes, quatro deles nota 5 e três nota 4+. FT 7498 a 7507 (destaques 7501, 7503, 7505, 7507).

4.5) Kanonkop Wine Estate. Fundada em 1910, é uma vinícola na 4ª geração. A propriedade tem uma área de 125 hectares e 100 deles com plantação de videiras. Paul Sauer denomina o vinho ícone da vinícola, homenageando seu proprietário da 2ª geração na vinícola e que foi Ministro de governo da África do Sul.

O vinho Paul Sauer provado é “um corte de 70% da uva Cabernet Sauvignon, 15% Merlot e 15% Cabernet Franc”, “e um dos grandes vinhos tintos sul-africano, premiado com as cinco estrelas da revista Wine (só concedidas a onze vinhos em todo o mundo, desde 1993). Tal exemplar ficou em primeiro lugar em um painel de 85 vinhos tintos no estilo de Bordeaux.² Prova de seis excelentes vinhos. FT 7508 a 7513 (destaque).


4.6) Tokara Wine Estate. Arquitetura moderna, muito bonita e com inúmeras obras de arte, dentro e fora do prédio, além de uma galeria de arte. Paisagem deslumbrante com jardins harmoniosos e bem cuidados. A sala de degustação é toda envidraçada, com uma vista exterior fantástica e interior com muitas obras de arte lindas. Provamos cinco vinhos maravilhosos FT 7515 a 7519 (destaque).

4.7) Delaire Graaf Estate. Luxuosa vinícola que pertence à Graff Diamonds Holdings e faz parte da rede Relais & Chateaux. Decoração clássica e muito bonita. Apresenta uma vista panorâmica do vale com seus vinhedos e ao fundo as montanhas, com jardins maravilhosos. Muitas obras de arte da coleção pessoal de Laurence Graff, tanto no interior quanto no exterior, com uma coleção de chitas (guepardos) em metal, deslumbrante. Atendimento bem profissional e atencioso. Almoçamos durante a degustação dos vinhos. Provados nove vinhos muito bons, FT 7520 a 7528 (destaque).


4.8) Rustenberg Wines. Vinícola fundada em 1682 no vale da montanha Simonsberg. A propriedade tem 880 hectares, dos quais 110 hectares com vinhedos. Os prédios em estilo clássico holandês do Cabo, são datados de 1814. A degustação foi realizada em uma ampla sala, com confortáveis poltronas, ricamente decorada e com quadros com pinturas contando a história da vinícola. Os vinhos tem uma gama diversificada, variando de 3+ a 5. Prova de oito vinhos FT 7529 a 7535 (destaque).

5) Vinícolas visitadas em Franschhoek.

5.1) La Motte Wine Estate. A viticultura em La Motte iniciou em 1752. Em 1970, é comprada por Anton Rupert, grande empresário sul africano, com forte investimento na área vinícola, o que resultou em sua completa transformação. Na propriedade existem 4 prédios considerados Monumentos Provinciais, Manor House (1751), Jonkershuis (1752), Adega Histórica (1782) e o Moinho d’Água (construído entre 1752 e 1793). Esta arquitetura clássica apresenta uma bela e charmosa decoração em seu interior e, externamente, belos jardins. Muitas obras de arte, quadros esculturas, tapetes, espalhados por toda a área, tanto interna quanto externa. Conta com um restaurante, um museu e uma galeria de arte. Sua produção é biológica e sustentável. Prova de sete vinhos FT 7540 a 7546 (destaque). Almoço no sofisticado e charmoso Pierneef à La Motte Restaurant, vinho FT 7547.

5.2) Allée Bleue Wine Estate. Além da viticultura, esta fazenda produz frutas e ervas. Possui um mercado que comercializa os produtos da fazenda. Ademais, oferece serviços de bistrô, hospedagem e espaço para casamentos e eventos. Sua arquitetura segue o estilo clássico holandês do Cabo e foi restaurada em 1999, quando assumiram novos proprietários. Prova de oito vinhos, variando de 3+ a 5. FT 7551 a 7558, destacando-se o FT 7553.

5.3) Boschendal Wine Estate. Fundada em 1685. É a segunda vinícola mais antiga da África do Sul. Localizada entre as montanhas Simonsberg e Drakenstein, a fazenda possui 1800 hectares, dos quais 1000 hectares são de reserva natural protegida. Sua Manor House é de 1812 em estilo clássico holandês do Cabo, foi restaurada e tem uma charmosa e luxuosa decoração com móveis antigos lindos. Além da vinicultura, a fazenda também tem pecuária, avicultura, suinocultura e fruticultura, em um ambiente de biodiversidade. Ali também se encontra restaurantes, açougue e armazém com produtos locais. Também dispõe de local para hospedagem e realização de eventos e casamentos. Após um recente processo de revitalização a fazenda emprega 550 funcionários. Prova de dez vinhos FT 7559 a 7568, com destaque para FT 7560, 7567 e 7568.


5.4) Plaisir de Merle Wine Estate. Enorme propriedade com arquitetura em estilo clássico holandês do Cabo. Estabelecida desde 1693, a Manor House foi construída em 1764. Sua decoração é elegante, mas eclética, misturando vários estilos de épocas diferentes. Tem enormes jardins muito bem cuidados e floridos. Localizada no sopé da imponente Montanha Simonsberg, tem área de 974 hectares dos quais cerca de 400 hectares com vinhedos e o restante permanecendo como reserva natural. Ela é uma das maiores fazendas do Cabo Ocidental e “detém o cobiçado status de Campeã de Conservação do WWF (World Wide Fund for Nature)”.³ Vinhos maravilhosos, sendo que dos seis provados, quatro foram nota 5 (FT 7569, 7570, 7573, 7574) e dois nota 4+ (7571 e 7572).

5.5) Niel Joubert Wines. Localizar a vinícola é muito complicado, pois pela estrada o acesso é feito pelo portal da fazenda Klein Simonsvlei, com uma pequena indicação da Niel Joubert, quase imperceptível para quem passa pela estrada. Como usamos o GPS, fomos conduzidos a uma estrada de terra muito ruim e sinuosa usada pelas máquinas e tratores da vinícola. Aí ficamos sabendo que Niel Joubert é o nome da vinícola da fazenda Klein Simonsvlei, estabelecida desde 1898 pelos Jouberts nas encostas da Montanha Simonsberg, e até hoje administrada pela família, agora na quinta geração. É “uma grande fazenda de vinhos e frutas, possui um cenário espetacular, que inclui cinco colinas e dez barragens alimentadas por uma nascente natural da montanha. Há água em abundância e diversidade de terras suficiente para acomodar o crescimento bem-sucedido de maçãs, peras, pêssegos, ameixas, limões e mirtilos, além de uvas”. 4 Os vinhedos ocupam cerca de 260 hectares e a vinícola tem por finalidade produzir vinhos de média gama. Provamos dez vinhos FT 7578 a 7587, sem destaques.

5.6) Grande Provence Heritage Wine Estate. Desde 1694. A entrada da vinícola é muito bonita, com uma alameda de álamos toscanos. A estrada é cercada de vinhedos e leva até ao prédio principal. Arquitetura em estilo clássico holandês do Cabo, com jardins muito bonitos e bem cuidados, repletos de esculturas, denominado de Sculpture Garden e que está em permanente evolução. Paisagem deslumbrante. Neste jardim estão instaladas mesas que, além da degustação dos excelentes vinhos, permitem um momento de relax apreciando as belas esculturas. Internamente, em 2004, foi totalmente redecorada ficando muito elegante e charmosa. Tem também, uma galeria de arte das mais conceituadas da Cidade do Cabo. Prova de sete vinhos FT 7588 a 7594, sendo três deles destacados com nota 5 (FT 7589, 7593, 7594).


5.7) Babylonstoren. Estabelecida em 1692. Histórica fazenda produtora de frutas e vinhos localizada no vale de Drakenstei, Franschhoek. Todas as construções mantêm o estilo colonial do Cabo, e seu “jardim procurou inspiração no passado, inspirado no Jardim da Companhia da Cidade do Cabo, que fornecia comida aos navios que passavam no Cabo nos anos 1600. Todas as mais de 300 variedades de plantas no jardim são comestíveis ou têm valor medicinal” 5... Sua Manor House data de 1777. A sala de degustação no formato de uma caixa toda envidraçada, com uma vista panorâmica dos vinhedos é muito contemporânea, fazendo um contraste entre o antigo e o moderno. Prova de nove vinhos FT 7595 a 7603, destacando-se FT 7596 e 7603.

5.8) Backsberg Sustainably Farmed. Desde 1916. Sua entrada possui um pórtico, distinto das demais, encimado por barricas onde inicia uma longa alameda que conduz ao prédio da vinícola. Possui 110 hectares de vinhedos nas encostas da montanha Simonsberg. Primeira vinícola da África do Sul a obter o selo Carbon Neutral Footprint 6 e terceira no mundo. Uma observação feita durante a visita chamou a atenção e consta no site: “Uma pergunta frequentemente feita por outros produtores e escritores de vinhos é qual é o seu rendimento por hectare. Para nós, em Backsberg, essa pergunta foi para o lixo e substituída pela pergunta: qual é o seu rendimento por metro quadrado de cobertura. Dado que o dossel ou as folhas são a "fábrica" da videira que garante a concentração e a maturação dos frutos, a questão não é o rendimento por metro quadrado de superfície, mas o rendimento por metro quadrado de "fábrica" que é o equilíbrio” 6. Produzem vinhos Kosher e provamos um Pinotage (FT 7615) e um Merlot (FT 7616). Além destes provamos mais quatro vinhos muito bons, FT 7614, 7617 e se destacaram FT 7618, 7619.

5.9) Rupert & Rothschild Vignerons. Em 1997, Dr. Anton Rupert e o Barão Edmond de Rothschild criaram esta vinícola. Sua arquitetura é em estilo clássico holandês do Cabo. Tem jardins floridos e muito bem cuidados. Seu interior é elegante e sofisticado, muito claro e amplo. A sala de degustação está integrada ao restaurante e seu teto é suportado por toras de árvores inteiras, dando um toque rústico à sofisticação. Uma grande área envidraçada permite uma ampla visão dos vinhedos e da montanha Simonsberg. Almoçamos no restaurante, que serve pratos muito saborosos e decorados, com um toque francês e que harmonizam com os vinhos ai produzidos. Prova de um champagne, FT 7620, mais três vinhos 7621, 7622, 7623 (destaque).

5.10) Chamonix Wine Estate. Desde 1991. A fazenda tem 300 hectares, com cerca de 50 hectares de vinhedos. Localiza-se a cerca de 1,5 km do centro de Franschhoek. Em termos de arquitetura é bem mais modesta, comparada com as demais da região. Assim como seus vinhos. Provamos quatro vinhos FT 7644 a 7647, todos medianos, sem nenhum destaque.

6) Vinícolas visitadas em Paarl.

6.1) Glen Carlou Vineyards. Construção em arquitetura moderna, mas com características africanas, muito bonita, com enorme salão com pé direito alto, todo envidraçado e uma bela varanda com vista panorâmica sensacional de seus imensos vinhedos e da montanha Simonsberg ao fundo. A fazenda tem 145 hectares. Em sua adega subterrânea estão armazenados 2.500 barris de carvalho, entre franceses e americanos.


Tem uma excelente galeria de arte contemporânea de artistas sul-africanos. Possui também um amplo restaurante, com pratos deliciosos combinando a cozinha francesa com a sul-africana, onde almoçamos harmonizando com excelentes vinhos. Prova de dez vinhos FT 7604 a 7613, onde se destacaram FT 7608, 7609, 7611, 7612.

6.2) Avondale Estate. “A pitoresca fazenda de 160 hectares, hoje conhecida como Avondale, está em cultivo há mais de 300 anos. Registros anteriores mostram que a terra foi uma das primeiras no vale de Paarl a ser alocada especificamente para a produção de uvas para vinho”. 7 Em 1997, a família Grieve adquire a fazenda. No ano 2000, após um incêndio catastrófico que devastou a região, são implantadas práticas orgânicas e biodinâmicas na recuperação da fazenda. “Avondale tem certificação orgânica e praticamos agricultura biodinâmica; mas vamos além desses dois sistemas benéficos da agricultura natural, usando também a melhor ciência, tecnologia e conhecimento do século XXI para aprimorar a sustentabilidade”. [...] “Avondale é credenciada de acordo com dois padrões orgânicos; o USDA NOP para os Estados Unidos e a regulamentação orgânica da UE para a União Européia”. 7 O controle de pragas é feito por bandos enormes de patos. Já o prédio da vinícola é de construção moderna, mas segue o estilo holandês do Cabo, com interior unindo o sofisticado, o rústico e o antigo. Seus jardins são muito floridos, com uma diversidade enorme de flores. Sua nova adega de alta tecnologia, construída em 2003, tem produção por fluxo de gravidade e foi edificada com dois andares abaixo do solo, aproveitando o leito de um antigo rio seco. Isto permite níveis de temperatura ideais para produção e armazenamento do vinho. Além da vinificação tradicional, também são utilizadas ânforas de barro. Prova de seis vinhos FT 7626 a 7631, com destaque para FT 7628, 7630, 7631.


6.3) Nederburg Wine Estate. Início em 1791 com 49 hectares, tendo a bela e imponente Manor House sido construída em 1800, hoje considerada Monumento Nacional sul africano. A magnífica paisagem descortinada desde seu salão de degustação apresenta seus vinhedos e tem como pano de fundo as montanhas Drakenstein. A decoração deste salão inclui, inclusive, um piano de cauda, usado para apresentações de artistas locais. Seus vinhos tem inúmeras premiações nacionais e internacionais. Atualmente a vinícola é de propriedade da Distell, uma das maiores distribuidoras de bebidas da África do Sul. Prova de onze vinhos, acompanhados por petiscos, queijos e embutidos regionais FT 7632 a 7642. Destaque para FT 7639 e 7641.

COMENTÁRIOS 

1) Arte

Cabe ressaltar a importância e valorização das Artes em todas as vinícolas. Seja com obras em seu interior, nos jardins e peças de antiguidade. Seja com galerias para exposição de artistas. Seja com apresentações musicais e de teatro. É uma constante muito agradável.

2) Deslocamentos.

Como nossas viagens são para conhecer e degustar vinhos, não alugamos carro.

Em Capetown sempre fizemos nossos deslocamentos de taxi comum, sem problema algum.

Para visita as vinícolas de Constantia e passeios contratamos, no Brasil, os serviços de traslado privativo com motorista. Lá concluímos que isto não seria necessário, pois existem diversos serviços muito mais baratos e com o mesmo conforto. Além dos serviços de aplicativos, existem inúmeras operadoras de turismo e o CitySightseeing Cape Town, com diversas linhas atendendo a vários pontos turísticos.

Em Stellenbosch, no próprio hotel contratamos veículo, do hotel, com motorista pelo dia inteiro. Serviço de excelente qualidade.

Em Franschhoek e Paarl utilizamos os veículos de dois motoristas de aplicativo, irmãos, também contratados por período. Para uma ideia da qualidade dos serviços, um dos carros era BMW e o outro Mercedez.

Contato Uber: Mr. Busani 027 78062-5727

Em Franschhoek, aproveitando os trilhos de uma antiga via férrea foi instalado um

bonde de dois andares, seguindo um modelo de 1923, chamado Franschhoek Wine Tram que oferece tour hop-on hop-off entre várias vinícolas, onde o visitante pode descer, fazer uma degustação na vinícola e, quando terminar e em horários determinados, seguir para a próxima vinícola, e assim sucessivamente. São oito linhas com diversas alternativas de vinícolas, combinando o uso do bonde com o uso de ônibus caracterizados ao estilo do bonde. Também experimentamos usar o Wine Tram, mas uma vez bastou! Valeu pelo inusitado, pela brincadeira. Mas é para jovens aventureiros...

Para o deslocamento dos aeroportos para as cidades e entre cidades, Capetown, Stellenbosch, funcionou perfeitamente. Franschhoek, também havíamos contratado no Brasil o traslado privativo com motorista, que


3) Hospedagem.

3.1) Capetown, Hotel City Lodge V&A Waterfront. Bom hotel e bom serviço, apenas a localização não era exatamente o que esperávamos. Acreditávamos estar mais próximo do Waterfront. Bom restaurante. 


3.2) Stellenbosch, Protea Hotel Stellenbosch, by Marriott. Bom hotel, bom serviço e excelente paisagem, com vista para o Condomínio Kleine Zalze e as montanhas que circundam Stellenbosch. Bom restaurante.

3.3) Franschhoek, Protea Hotel Franschhoek, by Marriott. Muito bom, hotel central, quartos grandes, confortáveis, banheiro enorme, excelente serviço. Seu restaurante, Hussar Grill, está entre os melhores da cidade e é muito frequentado pelos moradores da cidade.

3.4) Johanesburgo, Protea Hotel OR Tambo Airport, by Marriott. Bom serviço. Hotel adequado para passar apenas uma noite.

4) População em 2011:

4.1) Capetown: 433.688

4.2) Constantia: 12.564

4.3) Stellenbosch: 19.068

4.4) Franschhoek: 17.556

4.5) Paarl: 122.045

4.6) Johanesburgo: 957.441

Fontes:

¹ https://www.waterfront.co.za/the-va/the-company/about/

² https://www.mistral.com.br/produtor/kanonkop

³ https://www.plaisirdemerle.co.za/our-terrior/

4 https://nieljoubert.co.za/

5 https://babylonstoren.com/about

6 http://backsberg.co.za/about/history/

7 https://www.avondalewine.co.za/







TAGS


  Voltar